O tempo e o espaço. Fragmentos do marco civil da internet: paradigmas de proteção da dignidade humana

Marilene Pereira Araujo, Maria Celeste Cordeiro Leite dos Santos

Resumo


Tempo e espaço são paradigmas, sufragam as vontades e as possibilidades. Marcam e fazem a história. Luta-se contra o tempo, para aproveitá-lo cada vez mais intensamente, tentando perenizar nossas existências. O tempo inicia e põe termo às relações jurídicas. Em essência, o que se propõe neste estudo é, a um só tempo, refletir e analisar um de seus marcos regulatórios civil, a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014. Por causa da cultura de livre circulação na Internet e a falta de controles estruturais e externos, buscou-se estabelecer princípios, garantias, direitos e deveres, para esse microcosmo em expansão em nossa sociedade. Seu fundamento: o respeito à liberdade de expressão. Seu objetivo: o acesso à informação, ao conhecimento e à participação na vida cultural. A metodologia empregada é a Tópica. A Tópica aristotélica é um modo de pensar por problemas, a partir deles e em sua direção. Juridicamente, pensar topicamente significa manter princípios, conceitos, postulados com um caráter zetético, ou problemático.

Palavras-chave


TEMPO. ESPAÇO. MARCO CIVIL. DIGNIDADE HUMANA.

Texto completo:

Pdf

Referências


ABRÃO. E. Y . Direitos do autor e direitos conexos. São Paulo: Ed. Brasil. 2002

AUGE, Marc. Los no lugares-espacios del anonimato, una antropologia de la sobremodernidad. Barcelona: Gedisa, 1995.

BOTERO, Marino Catalina Liberdade de Expressão e Internet. Disponível em: . Acesso em: 228/02/2017.

BLUM Renato M. S. Opice e ABRUSIO Juliana Canha. Direito Autoral Eletrônico. Caderno Jurídico da Escola Superior do Ministério Público do Estado de São Paulo Ano 2 - Vol 1- n.º 4 - Julho/2002.

CASTELLS, Manuel. A era da informação. Sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COELHO, Fábio Ulhoa, Curso de direito civil, volume 4: direito das coisas, direito autoral. São Paulo: Saraiva, 2012.

DESANTES, José Maria. La información como Derecho. Madrid: Nacional, 1978.

FERNÁNDEZ RODRÍGUEZ, José Julio - Lo público y lo privado en Internet. Intimidad y libertad de expresión en la Red, Instituto de Investigaciones Jurídicas, Universidad Nacional Autónoma de México, México D. F., 2004.

FERRAZ JUNIOR, Tercio Sampaio. O Direito, entre o futuro e o passado. São Paulo: Noeses, 2014.

FERRAZ JUNIOR, Tercio Sampaio.Estudos de Filosofia do Direito. 4. ed. São Paulo: Altas, 2003.

HANS, Kelsen. O que é Justiça? São Paulo: Martins Fontes. 2001

LESSIG, Lawrence. El Código y otras leyes del ciberespacio, Madrid. 2001

LESSIG, Lawrence. Cultura Livre. São Paulo: Trama. 2005.

LEROI-GOURHAN, André. El gesto y la palabra. Caracas: Universidad Central de Venezuela,1971.

LLINÁS, Emilio Sune. Teoria Estructuralista el Derecho. Madrid: Universidad Complutense Madrid. 2006.

LOSANO, Mario G. Sistema e estrutura no Direito: volume III, do século XX a pós-modernidade. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2011.

LUHMANN, Niklas. Recht und Automation in der offentichen Verwaltung. Eine verwaltungswissenschaftliche Untersuchung. Berlim: Duncker & Humblot, 1996

LUHMANN, Niklas. Los derechos fundamentales como institución. México: Universidad Iberoamericana, 2010.

MALSON. Lucien. Les enfants Sauvages. Paris: Ed. 10/18, 1964,

MATURANA, Humberto. Desde la biología a la psicología. Buenos Aires: Lumen, 2004

McLUHAN, M.. Guerra e paz na aldeia global. Rio de Janeiro: Global. 1971.

OST, François, O Tempo do Direito. Lisboa, Instituto Piaget. 2011.

PIERRY, Levy. Cibercultura. São Paulo: Editora 34. 2010

RIFKIN, Jeremy. La sociedad de coste marginal cero,el Internet de las cosas, el pro común colaborativo y el eclipse del capitalismo. Barcelona: Paidós. 2014.

SILVA, José Afonso. Ordenação Constitucional da Cultura. São Paulo: Malheiros. 2002.

SPINOZA. Baruch. Tratado teológico-político. Madrid: Altaya. 1997.

TEUBNER, Gunther. Fragmentos Constitucionais: Constitucionalismo social na globalização. São Paulo: Saraiva. 2016.

VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v7i3.4947

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia