olíticas públicas e a concretização de direitos sociais: tomada de decisão, arquitetura de escolhas e efetividade

Ana Elizabeth Neirao Reymao, Ricardo dos Santos Caçapietra

Resumo


O texto objetiva discutir a utilização da ciência comportamental na implementação de políticas públicas e a importância de melhor estruturar o desenho das mesmas, contribuindo-se para a concretização de direitos sociais e observando-se critérios comportamentais e cognitivos dos indivíduos. A pesquisa apresentada é exploratória, de abordagem qualitativa, tendo como procedimento a revisão bibliográfica. O artigo aborda os principais modelos analíticos, expondo os avanços recentes da ciência comportamental, apresentando conceitos introdutórios sobre o julgamento e a tomada de decisão, a arquitetura de escolhas como uma técnica de desenho de políticas públicas capaz de incentivar melhores escolhas, bem como o método do experimento aleatório controlado como uma ferramenta de mensuração dos impactos. Ao final, expõe exemplos de insights comportamentais em políticas públicas. Com a escassez crescente de recursos públicos, é fundamental que os gestores se sensibilizem da necessidade de desenvolver ações eficientes e capazes de produzir resultados significativos na vida das pessoas, na materialização dos direitos sociais. Assim, o artigo pretende contribuir para a tomada de decisão, sob a ótica comportamental, destacando o uso de experimentos aleatórios controlados (EACs) como ferramenta para a tomada de decisão em políticas públicas.

Palavras-chave


Direitos sociais; Políticas públicas; Tomada de decisão; Arquitetura de escolhas; Efetividade.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Aparecida de Moura; SANTANA, Héctor Valverde. Avaliação de políticas públicas versus avaliação de impacto legislativo: uma visão dicotômica de um fenômeno singular. Revista Brasileira de Políticas Públicas, Brasília, v. 7, n. 3, p. 781-798, 2017.

ARAÚJO, Luísa; RODRIGUES, Maria de Lurdes. Modelos de análise das políticas públicas. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 83, p. 11-35, 2017. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/spp/n83/n83a01.pdf. Acesso em: 17 maio 2018.

ATTANASIO, Orazio et. al. Estimating the production function for human capital: results from a randomized control trial in Colombia. Disponível em: http://www.nber.org/papers/w20965. Acesso em: 20 maio 2018.

BANERJEE, Abhijit Vinayak et. al. Improving immunisation coverage in rural India: clustered randomised controlled evaluation of immunisation campaigns with and without incentives. British Medical Journal, v. 340, n. c2220, p. 1-9, 2010. Disponível em: https://www.bmj.com/content/bmj/340/bmj.c2220.full.pdf. Acesso em: 25 jul. 2018.

BAUMGARTNER, Frank R.; JONES, Bryan D. Agendas and instability in american politics. Chicago: University of Chicago Press, 1993.

BECKER, Gary S. The economic approach to human behavior. Chicago: University of Chicago Press, 2013.

BEDÉ, Fayga Silveira; SOUSA, Robson Sabino. Por que a área do direito não tem cultura de pesquisa de campo no Brasil? Revista Brasileira de Políticas Públicas, Brasília, v. 8, n. 1, p. 781-796, 2018.

BEHAVIOURAL INSIGHTS TEAM. [Sítio oficial na Internet]. Disponível em: http://www.behaviouralin-sights.co.uk/about-us/. Acesso em: 16 dez. 2017.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Buscando um conceito de políticas públicas para a concretização de direitos humanos. In: BUCCI, Maria Paula Dallari et. al. Direitos humanos e políticas públicas. São Paulo: Pólis, 2001. p. 5-16.

CAMPOS FILHO, Antonio Claret; PAIVA, Luis Henrique. Insights comportamentais e políticas de superação da pobreza. Disponível em: http://www.ipc-undp.org/pub/port/PRB60PT_Insights_comportamentais_po-liticas_de_superacao_da_pobreza.pdf. Acesso em: 15 jan. 2018.

CUNHA, Bruno Santos. Direitos fundamentais da constituição às políticas públicas. Revista Brasileira de Políticas Públicas, Brasília, v. 1, n. 1, p. 65-82, 2011.

DORES, Camila Japiassu. As bases da saúde lançadas pela Constituição Federal de 1988: um sistema de saúde para todos? Revista Brasileira de Políticas Públicas, Brasília, v. 3, n. 1, p. 77-89, 2013.

DUARTE, Clarice Seixas. A educação como um direito fundamental de natureza social. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 100, p. 691-713, 2007.

DYE, Thomas R. Understanding Public Policy. Englewood Cliffs, N.J.: Prentice-Hall, 1984.

EYSENCK, Michael W.; KEANE, Mark T. Manual de psicologia cognitiva. 7. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017.

FRYER, Roland G. et. al. Enhancing the efficacy of teacher incentives through loss aversion: a field experimente. Disponível em: http://www.nber.org/papers/w18237. Acesso em: 15 abr. 2018.

HAYNES, Laura et. al. Testar, aprender, adaptar: desenvolver as políticas públicas mediante experimentos aleatórios controlados. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 41, p. 11-43, jul./dez. 2013.

HOWLETT, M.; RAMESH, M. Studying public policy: policy cycles and policy subsystems. New York: Oxford University Press, 1995.

JONES, Bryan D.; BAUMGARTNER, Frank R. From there to here: punctuated equilibrium to the general punctuation thesis to a theory of government information processing. Policy Studies Journal, v. 40, n. 1, p. 1-19, 2012.

JONES, Bryan D.; CHARLES, O. An introdution to the study of public policy. 3. ed. Monterey, CA: Brooks Cole Publishing, 1984.

KAHNEMAN, Daniel. Rápido e devagar: duas formas de pensar. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

KINGDON, John. Como chega a hora de uma ideia? e juntando as coisas. In: SARAVIA, Enrique; FERRAREZI, Elisabete. (Org.). Políticas públicas. São Paulo: ENAP, 2006. p. 219-244.

LASSWELL, Harold. Politics: who gets what, when, how. Cleveland: Meridian Books, 1936/1958.

LASSWELL, Harold. The public interest. In: FRIEDRICH, C. F. (Ed.). The public interest. New York: Atherton Press, 1962.

MARTINS, Urá Lobato. A judicialização das políticas públicas e o direito subjetivo individual à saúde, à luz da teoria da justiça distributiva de John Rawls. Revista Brasileira de Políticas Públicas, v. 5, Número Especial, p. 309-328, 2015.

PETERS, B. Guy. American Public Policy. Chatham, N.J.: Chatham House, 1986.

RAEDER, Savio. Ciclo de políticas: uma abordagem integradora dos modelos para análise de políticas públicas. Perspectivas em Políticas Públicas, Belo Horizonte, v. 7, n. 13, p. 121-146, 2014.

SABATIER, Paul. An advocacy coalition framework of policy change and the role of policy oriented learning therein. Policy Sciences, v. 21, p. 129-168, 1988.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento: includente, sustentável e sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SAMSON, Alain. Guia de economia comportamental e experimental. São Paulo: EconomiaComportamental.org., 2015.

SECCHI, Leonardo. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. São Paulo: Malheiros, 1992.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, n. 16, p. 20-45, 2006.

THALER, Richard H.; SUNSTEIN, Cass R. Nudge: improving decisions about health, wealth, and happiness. New York: Penguin Publishing Group, 2009.

THALER, Richard H.; SUNSTEIN, Cass R.; BALZ, John P. Choice Architecture. Disponível em: https:// papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=1583509. Acesso em: 25 mar. 2018.

TONETTO, Leandro M. et. al. O papel da heurística no julgamento e na tomada de decisão sob incerteza. Campinas: Estudos de Psicologia, 2006.

VIANA, Ana Clara. Abordagens metodológicas em políticas públicas. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 2, p. 5-43, 1996.

VICENTE, Victor Manuel Barbosa; CALMON Paulo Carlos Du Pin. A análise de políticas públicas na perspectiva do modelo de coalizões de defesa. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/APB2163.pdf. Acesso em: 17 maio 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v8i2.5329

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia