Avaliação da contaminação por fertilizantes em águas superficiais e subterrâneas de uma bacia agrícola do Distrito Federal

Vitor Hugo Garcia Guedes, Eduardo Cyrino De Oliveira Filho

Resumo


A prática da agricultura atualmente se baseia na utilização de fertilizantes químicos, que são amplamente utilizados para aumentar a qualidade e a quantidade da produção agrícola a nível mundial. Os elementos fertilizantes mais utilizados são nitrogênio, fósforo e potássio, e o abuso dessas aplicações pode resultar na contaminação do solo e da água através do dessas substancias. A Bacia do Alto Rio Jardim está localizada na área rural de Brasília e é considerada a mais importante região produtora de alimentos do Distrito Federal, contando com uma área aproximada de 105 m2 de área de drenagem. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho é avaliar a presença dos nutrientes nitrogênio (nitrato (NO3¯) e amônio (NH4+)), fósforo (Ptotal) e potássio (K+) em águas superficiais e poços subterrâneos na Bacia do Alto Rio Jardim, determinar o nível residual e comparar com o valor previsto na legislação. Foram realizadas quatro campanhas de coleta no total, sendo set/19 e jun/20 em período de seca, e dez/19 e fev/20 em período de chuva. Foram coletados em cada ponto entre 50 e 100 ml de água, armazenadas em frascos polietileno e mantidas sob refrigeração até o encaminhamento ao laboratório. Para metodologia analítica, foram avaliadas as concentrações dos nutrientes diluídos nas amostras coletadas e através da leitura por cromatografia iônica do Cromatógrafo Iônico 761 Compact IC, da Metrohm. A primeira campanha foi realizada no dia 23/09/2019 com total de 33 amostras (27 subterrâneas 6 superficiais). A concentração de nitrato (NO3¯), amônio (NH4+), fósforo (Ptotal) e potássio (K+) apresentaram uma média de 0,8075 mg/L; 0,5045 mg/L; 0,321 mg/L; 1,0625 mg/L com valores máximos encontrados de 1,589 mg/L ; 1,007 mg/L; 0,637 mg/L; 1,263 mg/L, respectivamente. A segunda campanha realizada no dia 09/12/2019 com 35 amostras (29 subterrâneas e 6 superficiais), com concentrações médias de 1,765 mg/L; 1,76 mg/L; 0,1015 mg/L; 1,4845 mg/L e valores máximos 3,5 mg/L; 3,519 mg/L; 0,203 mg/L; 2,967 mg/L, respectivamente. A terceira campanha do dia 10/02/2020 foram coletadas 36 amostras (31 subterrâneas e 5 superficiais), com concentrações médias de 0,9253 mg/L; 0,3555 mg/L; 0,1965 mg/L; 1,654 mg/L e valores máximos 1,844 mg/L; 0,710 mg/L; 0,387 mg/L; 3,236 mg/L, respectivamente. E na quarta e última campanha, foram coletadas 35 amostras (29 subterrâneas e 6 superficiais), com concentrações médias de 1,3795 mg/L; 1,565 mg/L; 0,454 mg/L; 1,052 mg/L e valores máximos 2,645 mg/L; 3,128 mg/L, 0,906 mg/L; 2,005 mg/L, respectivamente. Os valores obtidos foram comparados com os VMPs estipulados a partir da Resolução CONAMA Nº 357 de 2005 para águas superficiais classe 3 e Resolução CONAMA Nº 396 de 2008 para águas subterrâneas classe 3. Em relação as superficiais, o fósforo apresenta VMP de 0,15 mg/L e, para medir o nitrogênio, foi utilizado o nitrato com VMP de 10,0 mg/L. Para o caso das subterrâneas, o nitrato também apresenta VMP de 10,0 mg/L. Os dados obtidos mostraram que não foram encontradas concentrações acima do VMP previstos na legislação para o nitrato, contudo para o fósforo os valores máximos encontrados foram maiores do que os estabelecidos pelas classes 1 e 2 da CONAMA Nº 357/2005. O componente amônio (NH4+) encontrado nas amostras não apresentam VMP estipulado por legislação, evidenciando assim a necessidade de uma modificação para melhor atender a questão da contaminação por fertilizantes.

Palavras-chave


Ecotoxicologia. Recursos hídricos. Poluição ambiental. Fertilizantes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5102/pic.n0.2019.7587

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia