Individualismo: lócus da dificuldade de Ler e Escrever entre Universitários - 10.5102/uri.v4i2.231

Ivar César Oliveira de Vasconcelos

Resumo


Este artigo discute a dificuldade que os alunos universitários têm de ler e escrever, uma autêntica ausência intelectual, relacionando-a com o individualismo. São dois fenômenos sociais muito próximos, cujas relações estimulam a curiosidade do pesquisador. Na base do individualismo, está a concorrência e há, entre os estudantes, uma tendência para naturalizá-la, isto é, de perceberem-na como um fato normal e definitivo na sociedade. De maneira geral, os estudantes universitários não vêem problema nisso e até entendem que ela não impacta a formação de grupos nas salas de aula. Entretanto, verificou-se com a pesquisa que essa formação de grupos não é suficiente para a construção de uma cultura propícia à ativa interação intelectual. Inclusive, os estudantes sequer têm consciência dos verdadeiros motivos que impedem essa interação. Buscou-se inspiração em Durkheim e seu método explicativo sobre o individualismo e em Weber e seu método compreensivo de análise das motivações dos atores sociais, tomando cuidado em seguir certas recomendações de Bourdieu na elaboração de pesquisas. Portanto, a pesquisa tem no centro um objeto específico – dificuldade de ler e escrever de alunos universitários – que é visto na sua relação com o individualismo. O estudo conclui que o individualismo é o lócus de realização da ausência intelectual e apresenta, a título de acréscimo aos objetivos da pesquisa, algumas práticas em sala de aula que podem ser aplicadas pelos professores.

Palavras-chave


Leitura; Escrita; Individualismo; Universitários; Concorrência;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v4i2.231

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia