Migração e refúgio: uma breve problematização sobre os direcionamentos governamentais para recepção a haitianos no Brasil e na República Dominicana 10.5102/uri.v11i1.2434

Aline Maria Thomé Arruda

Resumo


O ensaio pretende fazer uma reflexão sobre o tratamento dado pelo governo brasileiro aos haitianos que tem entrado de maneira numericamente mais intensa no Brasil, especialmente após o terremoto que acometeu aquele país em janeiro de 2010. A proposta é, a partir de uma comparação com medidas tomadas pelo governo da República Dominicana, país emergente para o qual historicamente se dirigiu o maior contingente de migrantes haitianos, observar possíveis similaridades e divergências entre o posicionamento de ambos os governos ao lidar com esses grupos migratórios que se dirigem para seus respectivos países. A discussão dar-se-á e torno da seguinte questão: existe, de fato, uma diferença muito grande entre a anunciada receptividade dos haitianos por parte do Governo brasileiro e a histórica xenofobia sofrida por esses nacionais na República Dominicana? Observar-se-á que a receptividade de haitianos por parte do Governo brasileiro é muito mais complexa do que aparenta e envolve fatores diversos como o posicionamento político deste país no cenário internacional bem como seu histórico de relacionar-se de maneira diferente com diversos grupos migratórios presentes no país.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v11i1.2434

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia