O papel dos movimentos sociais em prol da economia solidária: possibilitadores de cidadania e inclusão social

Mariana Leiu Richter, Juvêncio Borges Silva

Resumo


O movimento de economia solidária é considerado como sendo propulsor de uma nova orientação para a sociedade, se inserindo no contexto dos movimentos sociais, que têm tido importante papel como modelo alternativo ao existente, a fim de propiciar a inclusão social e, por via reflexa, o resgate da cidadania. Os movimentos sociais são atores de grande relevância no contexto do desenvolvimento social, além de incluir uma nova tendência de desenvolvimento, qual seja, a economia solidária. Este movimento, fundamentado em um novo conceito de economia, se contrapõe ao modelo capitalista vigente, excludente, propugnando por uma economia que seja ao mesmo tempo sustentável e includente, que contemple as pessoas marginalizadas na sociedade, proporcionando-lhes as condições e oportunidades necessárias para o seu pleno desenvolvimento como pessoa humana e como cidadão. O movimento de economia solidária se coloca como mediador entre a sociedade civil e o Estado na busca do desenvolvimento de uma economia que contribua igualmente para o desenvolvimento da pessoa humana e efetivação do exercício da cidadania, na construção de uma sociedade mais justa.

Palavras-chave


Movimentos sociais. Cidadania. Economia solidária

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/unijus.v24i3.2464

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1519-9045 (impresso) - ISSN 1982-8268 (on-line) - e-mail: carolina.abreu@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia