A Proteção do Meio Ambiente no Sistema Interamericano de Direitos Humanos a partir do direito à Educação

Augusto Resende

Resumo


O artigo 11 do Protocolo de San Salvador consagra o direito a um meio ambiente sadio, mas as agressões ambientais não se sujeitam ao sistema de petições individuais disciplinado pela Convenção Americana sobre Direitos Humanos. Nesse contexto, o presente artigo científico tem por finalidade apresentar, a partir de uma pesquisa doutrinária e legislativa, argumentos favoráveis no sentido de é possível a proteção do meio ambiente perante a Corte Interamericana de Direito Humanos a partir do direito à educação, objetivando, com isso, contribuir para o debate acadêmico e para a maior efetividade do direito ao meio ambiente sadio. O consumo consciente é um importante instrumento de promoção e preservação da natureza, mas que exige uma mudança de comportamento dos consumidores que não se importam com os impactos negativos que a sua decisão de consumo pode provocar no meio ambiente. Por isso, faz-se necessária a consecução do direito à educação de modo a proporcionar a disseminação de uma nova mentalidade e conscientização da utilização racional dos recursos naturais e de proteção dos direitos humanos. Assim, conclui-se da pesquisa empreendida que a execução do direito à educação sem que se contemple a conscientização socioambiental das pessoas poderá dar ensejo à responsabilização internacional da República Federativa do Brasil por violação do direito social previsto no art. 13 do Protocolo Adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos.

Palavras-chave


Meio ambiente; Consumo consciente; Educação; Sistema Interamericano de Direitos Humanos.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL JÚNIOR, Alberto do Amaral. Comércio internacional

e proteção do meio ambiente. São Paulo: Atlas, 2011.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para o consumo: a transformação

das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar,

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade.

São Pulo: 34, 2010.

BERNARDES, Márcia Nina. Sistema interamericano

de direitos humanos como esfera pública transnacional:

aspectos jurídicos e políticos da implementação de decisões

internacionais. SUR – Revista Internacional de Direitos

Humanos, v. 8, n. 15, p. 135-156, dez. 2011.

BOUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. 3. ed. Lisboa:

Edições 70, 2011.

CAPRA, Fritoj. As conexões ocultas: ciência para uma vida

sustentável. São Paulo: Cultrix, 2005.

CAPRA, Fritoj. A teia da vida: uma nova compreensão

científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 2006.

DALY, Herman E. Economics in a full world. Scientific

American, EUA, v. 293, n. 3, set. 2005.

DURKHEIN, Émile. Educação e sociologia. Petrópolis:

Vozes, 2011.

EFING, Antônio Carlos. Fundamentos do direito das relações

de consumo. Curitiba: Juruá, 2011.

FAJARDO, Elias. Consumo consciente, comércio justo: conhecimento

e cidadania como fatores econômicos. Rio de

Janeiro: Senac Nacional, 2010.

FOSTER, John Bellamy. A ecologia em Marx: materialismo

e natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: direito ao futuro. 2.

ed. Belo Horizonte: Fórum, 2012.

GIDDENS, Anthony. As Consequências da modernidade.

Trad. Raul Fiker. São Paulo: UNESP, 1991.

HARDING, Stephan. Terra viva: ciência, intuição e a

evolução de Gaia: para uma nova compreensão da vida

em nosso planeta. São Paulo: Culturix, 2008.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade,

complexidade, poder. Trad. Lúcia Mathilde Endlic

Orth. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

MORIN, Edgar. A via para o futuro da humanidade. Rio de

Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Década

da educação das Nações Unidas para um desenvolvimento sustentável,

-2014: documento final do esquema internacional

de implementação. Brasília: UNESCO, 2005.

PAGLIARINI, Alexandre Coutinho. Teoria geral e crítica

do direito constitucional e internacional dos direitos

humanos. In: PAGLIARINI, Alexandre Coutinho; DIMOULIS,

Dimitri (Coord.). Direito constitucional e internacional

dos direitos humanos. Belo Horizonte: Fórum, 2012.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e direito constitucional

internacional. 11. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e justiça internacional.

ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

PIOVESAN, Flávia. Temas de direitos humanos. 5. ed. São

Paulo: Saraiva, 2012.

PORTILHO, Fátima. Sustentabilidade ambiental, consumo e

cidadania. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

RAMOS, André de Carvalho. Processo Internacional de direitos

humanos. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

RISTER, Carla Abrantkski. Direito ao desenvolvimento: antecedentes,

significados e consequências. São Paulo: Renovar,

SACHS, Ignacy. Dilemas e desafios do desenvolvimento sustentável

no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

SOUZA, Marcos Gouvêa de. Metaconsumidor: a sustentabilidade

na visão do consumidor. São Paulo: GS&MD,




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rdi.v10i2.2465

ISSN 2236-997X (impresso) - ISSN 2237-1036 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia